Theatro Municipal

Em fins do século XIX, a cidade de São Paulo tinha vários teatros como o Apolo, o Minerva, o Politeama, o Provisório Nacional e o melhor e mais conhecido deles, o Teatro São José.

Em 1895, iniciam-se na Câmara Municipal as discussões para a construção de um teatro voltado especificamente para a exibição de ópera.

No começo de 1898 é aprovada a Lei nº 336 de 24 de Janeiro de 1898 que cria condições atrativas para que teatros possam ser construídos pela iniciativa privada, entre elas, isenção fiscal por 50 anos e desapropriação por utilidade pública do terreno que fosse escolhido para a construção do teatro.

Em 15 de fevereiro de 1898 é lançado o edital da concorrência pública para a construção do Theatro Municipal.

O italiano Cláudio Rossi, arquiteto, cenógrafo, decorador, empresário arrendatário do Theatro São José e amigo pessoal de Conselheiro Antônio Prado – primeiro prefeito da cidade de São Paulo – apresenta proposta. Outro que apresenta proposta é Ramos de Azevedo.

Segundo consta, o Conselheiro Antônio Prado teria aproximado Cláudio Rossi a Ramos de Azevedo que unificaram as propostas.

Pelo arranjo, o projeto fica a cargo de Cláudio Rossi, o detalhamento do projeto a cargo do também italiano Domiziano Rossi – colaborador freqüente de Ramos de Azevedo e que não guardava nenhuma relação de parentesco com Cláudio – e a execução da obra a cargo do Escritório Técnico Ramos de Azevedo.

O local escolhido para a construção foi um terreno no Morro do Chá, perto do Viaduto do Chá na esquina oposta de onde seria construído o Novo Theatro São José. No terreno estava instalada a serraria do empresário alemão Gustavo Sydow.

Por volta de 1902, o terreno é desapropriado pelo governo do Estado de São Paulo e com a Lei nº 627 de 7 de Fevereiro de 1903 o prefeito recebe autorização para negociar com o estado a transferência do terreno para a municipalidade.

Pouco mais de dois meses depois, a Câmara Municipal autoriza a construção do Theatro Municipal com a Lei nº 643 de 25 de Abril de 1903.

As obras são iniciadas em 26 de junho e em agosto Cláudio Rossi viaja à Europa a fim de levar plantas e demais documentos relativos à construção a potenciais fornecedores de itens de decoração, equipamentos e maquinário.

A construção fortemente influenciada na Ópera de Paris foi inaugurada em 12 de setembro de 1911 diante de uma multidão estimada em 20 mil pessoas que se espalhavam pelos arredores do Theatro Municipal.

A noite foi aberta com a execução de um trecho da ópera “O Guarani” de Carlos Gomes. Na sequência, a companhia italiana Tita Rufo encenou a ópera “Hamlet” de Ambroise Thomas.

Galeria de Fotos

Panorama 360 Graus

Video

Deixe uma resposta